sábado, 15 de agosto de 2009

A fotografia é sempre intensa, emotiva e invoca o pensamento, a interiorização de todos os pequenos pormenores ou as lembranças que nos fazem sentir.
Tão forte, ao ponto de gerar um turbilhão de sentimentos intensos que, se quisermos ordená-los por ordem crescente, não conseguiríamos. Assim como também, seria inútil e impossível, tentar descrever o sentimento que esta fotografia gera em mim.


Porque há coisas tão nossas,
mas tão nossas que só nós pudemos entender.

5 comentários:

Gonçalo disse...

Parece-me que há uma despedida e um corte com o passado, representado por uma estrada e casa ao longe. Mas seja como for, essas coisas são tuas e o importante é adquirires o equilíbrio nesta nova oportunidade de evolução pessoal, porque para cada caos há um equilíbrio superior ao equilíbrio anterior.
Beijinhos e o desejo de um Domingo bem gozado :)

Mokas disse...

há sempre tanto mais para além da fotografia...

Patrícia disse...

[Corte] é uma palavra forte que não gosto muito de usar. Nunca podemos cortar nada do que fica para trás. Faz parte de nós...O segredo está em aceitar e aprender com tudo o que ficou.

É um caminho percorrido que fica para trás em que a viagem continua, e que não importa a que destino nos leva. O essencial é visivel aos olhos e está estampado num sorriso sempre de fé e de esperança na certeza que o importante já nós temos.

Patrícia disse...

Mokas:

Já conhecia essa foto, mas nunca tinha visto o que estava por trás dela! :)

Obrigada, pela partilha. :)

Gonçalo disse...

Concordo contigo. "Corte" é uma palavra exagerada, uma vez que fica sempre uma mensagem subliminar mesmo que seja contra a nossa vontade. Se assim não fosse, não saberia o que andariamos cá a fazer.
O mais importante já tu tens, aquilo que foste, és e queres ser, principalmente esta última parte!
Beijinhos e continua a sorrir :)