sexta-feira, 31 de julho de 2009

Achamos sempre que o nosso AMOR é sempre mais profundo do que o dos outros,
mais sentido do que o anterior,
maior hoje,
menor amanha
ou vice-versa… !

“Amo-te Muitoooooooooooooo”
“Amo-te daqui até á lua...”
"Amo-te daqui até ali...”
“Amei mais a Joana...”
“Amei menos o Manel...”



Um emaranhado de expressões proferidas de forma desmedida, (com certeza)!
Será que, há assim tanta gente a crer, que o AMOR possa ter um tamanho calculável?

Na minha opnão, penso que, este misterioso sentimento é algo que não se pode dar ao kg, nem tão pouco pode ser “servido á dose”.!

Também não é fácil falar dele ou defini-lo. Mas, mais difícil será medi-lo ou tentar compara-lo!
Assim como, outros valores, também este não será palpável.
É de natureza inesgotável.
Parece, muitas das vezes que tem vontade própria, (o raio do Amor)!
Aparece quando lhe apetece, desenvolve-se, e cria raízes, quando queremos ou deixamos de querer.
Não nos pede permissão para entrar, nem licença para sair!



Já o dizia o poeta "Amor é fogo que arde sem se ver".
Quanto á parte que "é ferida que dói, e não se sente"

Discordo por completo!
Pois doí e não é pouco, Camões!

2 comentários:

ana disse...

Sabia lá o que dizia camões !!!

oh pobre poeta ...

Patrícia disse...

:) Nem mais!

Como tu me entendes, páh!! :)